sexta-feira, 17 de maio de 2024

Kwid ganha upgrade no visual para chegar aos R$ 60 mil

Renault apresentou a versão 2023 do veículo que perdeu sua versão básica, o único veículo do país que custava menos de R$ 50 mil.

A Renault apresentou as mudanças visuais que fez no Kwid. O carro ganhou frente remodelada, incorporou novos equipamentos, perdeu a versão básica sem ar-condicionado. O novo Kwid custa R$ 60 mil (R$ 59.890) e ficou com ar mais moderninho. Porém é o mesmo carro de antes.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

A antiga versão life que custava R$ 49 mil, se despediu (aqui nós contamos mais como ela era). Vai tarde, já que não dispunha de itens básicos como ar-condicionado e direção elétrica. Agora o carro tem as versões Zen, Intense e Outsider. Segundo a Renault, ganhará também uma versão elétrica ainda esse ano.

A frente do novo Kwid dá ares futuristas ao carrinho, mas o que a Renault fez foi o mesmo que a Fiat faz com a Toro. Na fileira de cima, em led, está a luz diurna. O farol foi colocado na camada do meio (farol comum, sem led), onde a grade e o para-choques foram remodelados.

Entre os itens, a câmera de ré é oferecida nas versões Intense e Outsider. Pintura bicolor é opcional para as versões mais caras e a roda de liga-leve também. Aliás, a roda continua com três furos, o maior símbolo de economia de peças que o Kwid carrega desde seu lançamento.

O painel de instrumentos mudou, ficou mais moderno com iluminação led. Porém todo o resto segue o visual tradicional do Kwid, que dá ao veículo a cara do que ele realmente é: um carro básico de entrada da marca (mas que custa R$ 60 mil!).

O Kwid continua oferecendo quatro airbags, o que o torna mais seguro do que outros veículos em faixas de preço maiores. O Kwid também traz agora controle eletrônico de estabilidade e assistente de partida em rampa.

O carro segue oferecendo apenas motor 1.0 com troca manual de marchas. A Renault fez ajustes no motor, que gera 71cv, e diz que o carro está mais econômico agora. Aqui sim, ponto importante a se destacar, já que o público que procura um Kwid quer gastar um carro econômico.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Fiat também aumentou o Mobi

Um dia antes do lançamento do novo Kwid, a Fiat anunciou a versão 2022 do Mobi, seu concorrente direto, que ganhou poucos ajustes e também perdeu a sua versão básica sem ar-condicionado e direção elétrica.

Curiosamente a Fiat apresentou mudanças semelhantes no Mobi, como maior economia: a Fiat ajustou o motor Fire (o velho motor Fire do Palio) para se ajustar às novas normas de emissão de poluentes vigentes no país.

Agora o Mobi desenvolve até 74cv e consome um pouco menos que antes. Mobi e Kwid têm outra coisa em comum: perderam o tanquinho de gasolina para partida a frio, mas aí é exagero dizer que isso deixou os carros mais modernos, certo?

O Mobi é considerado o único concorrente direto do Kwid. Há dois anos esses carros custavam cerca de R$ 34 mil. Fiat e Renault, empresas de grupos distintos, foram aos poucos reajustando o preço e adicionando detalhes triviais para dizer que o carro estava mais completo.

Notícias relacionadas

- PUBLICIDADE -

nossos destaques

comentários

Subscribe
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
- PUBLICIDADE -spot_img