quinta-feira, 30 de novembro de 2023

Vai comprar o primeiro carro? Veja os 6 maiores erros cometidos pelos compradores

Comprar o primeiro carro leva muita gente a ter impulsos e um grande arrependimento depois. Veja dicas que podem te ajudar

Comprar o primeiro carro é um sonho realizável, mesmo em um país cheio de adversidades econômicas como o nosso. Mas quantas pessoas já tiveram essa oportunidade e hoje pensam que poderiam ter feito melhor na primeira compra?

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Pra evitar frustração e garantir uma melhor aquisição, separamos aqui os 6 maiores erros na compra do primeiro carro. As dicas valem para a compra de qualquer carro, mesmo que não seja o seu primeiro.

1 – Pensar apenas na estética do carro

Tudo bem ter um gosto pessoal e preferir carro A em vez de carro B. Mas para fazer uma boa compra é necessário usar um pouco da razão. O carro dos seus sonhos pode ser uma bomba ambulante!

Pesquise sobre o carro da sua preferência. Quanto ele consome de combustível? Qual o valor das revisões? O pneu indicado pelo fabricante é o mais caro que existe na face da Terra? A montadora usou uma peça de borracha que estraga fácil? Pequenos detalhes escondidos podem fazer a diferença no final e causar uma grande frustração.



São muitas as maneiras de pesquisar sobre um carro. Uma delas é entrando em fóruns ou então consultando vídeos no Youtube. Procure um canal que costume ser sincero nas avaliações.

2 – Não levar o carro no mecânico de confiança

Essa é uma dica para quem vai comprar um usado ou seminovo. Peça para dar uma voltinha no veículo e leve-o ao seu mecânico. Uma olhada rápida ao levantar o carro no macaco hidráulico já é suficiente para detectar problemas básicos.

Dê uma voltinha com o mecânico e tenta ouvir barulhos indesejados. Mesmo um carro com dois ou três anos de uso pode apresentar problemas de suspensão.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

3 – Pensar apenas no preço das parcelas

Este é um erro que chega a ser frequente. Normalmente a pessoa pensa apenas no valor da parcela na hora de ver se o carro cabe no orçamento e se esquece que o carro tem outros custos.

Além do valor fixo da parcela contratado com o banco, é preciso se atentar ao valor do seguro, o custo das manutenções, as multas, impostos e também com a gasolina. Em geral, os custos associados podem superar o valor da parcela do carro, mesmo quando é dada uma entrada.

É necessário usar uma calculadora e pensar racionalmente nesta hora. Evite comprometer a sua renda além do que você consegue pagar.

4 – Não se preocupar em achar a melhor taxa

O cliente muitas vezes pede para o vendedor fazer simulações na frente do computador, até achar uma parcela que caiba no bolso. Mas ele não se atenta em saber qual a taxa de juros que pagará ao diluir as prestações em um prazo maior. Isso é um grande erro.

Além disso, é preciso pesquisar as taxas de mercado, que podem variar de loja para loja, sobretudo no caso dos usados, em que há mais opções de financiamento em jogo. Veja com qual taxa ele trabalha. O vizinho pode trabalhar com outro banco, que está dando promoção naquela semana.

E por fim, vale a pechincha. Normalmente o vendedor tem uma margem para melhorar e fechar a venda. É hora de usar isso a seu favor.

4 – Pesquisar preço e não idoneidade da loja

O mercado de carros usados é gigantesco, com gente honesta e desonesta na jogada (leia aqui exemplos). Dê preferência para lojas que possuem boa reputação. Peça indicação a um amigo que já comprou no lugar, pesquise na internet. Não é difícil se deparar com reclamações preocupantes e que te ajudam a evitar uma má compra.

Preço não significa boa compra. Lojas desonestas, além de maquiar um carro, podem não querer atender a um problema futuro de responsabilidade dela. O desgaste com o problema não valerá a pena.

Sem contar a possibilidade de golpe. Não é incomum uma loja virtual anunciar modelos por preços baixíssimos, pedirem um sinal e depois sumirem. Isso vale para uma venda direta. Cuidado ao negociar por sites e redes sociais. Dar sinal para quem você não conhece é um grande risco.

6 – Deixar ser levado pela emoção

Este também é um dos maiores erros na compra do primeiro carro, que já é uma emoção por si só. É a possibilidade de ter mais independência, é uma conquista pessoal, é aquela ansiedade de sair guiando, etc. Porém é preciso focar.

Se um carro está R$ 5 mil acima do limite que você colocou para a compra, ele deixa de ser uma boa compra. “Mas ele é tão bonito!” Pare e pense: vale a pena comprometer o orçamento? Será que não existem outros carros bonitos com preço dentro do seu orçamento?

Pesquise, desconfie e compre quando achar que fez uma boa seleção para você e seu bolso.

Publicada originalmente em

- PUBLICIDADE -

destaques

comentários