domingo, 21 de abril de 2024

Será o fim do cheirinho de carro novo?

Substâncias que causam sensação de cheirinho de carro novo são nocivas à saúde e estão saindo de cena mundo afora.

Um dos maiores prazeres de se comprar um veículo 0 km, o querido “cheirinho de carro novo” pode estar com os dias contados. O motivo? As regulamentações ambientais, cada vez mais rígidas em todo o mundo.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -
Carro zero é sinônimo de cheirinho de novo, mas até quando?

Tá, mas o que isso tem a ver? É que o cheiro é exalado por oito tipos de compostos orgânicos voláteis, prejudiciais à saúde e presentes e todo carro zero. Os nomes são complicados: acetaldeído, acroleína, benzeno, etilbenzeno, formaldeído, estireno, tolueno e xileno. E eles não desaparecem de uma vez.

Como a palavra volátil propõe, os compostos evaporam. Mas só durante o calor do dia, quando ficam presos dentro da cabine do carro, por mais que a janelas estejam abertas. À noite voltam à posição original, para recomeçar o ciclo no dia seguinte. É por isso que alguns carros continuam cheirando novo meses depois da compra.

Riscos

O problema é que quando essas substâncias ficam suspensas no ar e são inaladas em excesso podem causar alergia, tontura e náusea. Exatamente. Quem for muito viciado em cheirinho pode se dar mal. “Ah, besteira, nunca vi ninguém passando mal em carro novo”, você pode estar esbravejando agora. Pois em 2005 uma pesquisa na Coréia do Sul com 800 compradores de veículos 0 km revelou que 51,5% deles sentiram algum dos sintomas acima, o que foi caracterizado por lá como “síndrome do carro novo”.



Este dono foi muito otimista pra manter o cheirinho de novo

A partir da pesquisa o governo coreano criou um padrão máximo de emissões de compostos orgânicos voláteis e tem regulado o ‘cheirinho de carro novo’ com rigor. E esse é o ponto. É provável que governos regulem cada vez mais as emissões a ponto de um dia o cheirinho de carro novo desaparecer por completo.

A China já criou uma portaria própria para avaliar “a qualidade do ar respirada pelos ocupantes do carro”. A partir de julho de 2021 veículos com até 8 lugares terão que ser fabricados com algumas peças inodoras para continuarem no maior mercado de carros novos do mundo.

Na Ásia ele já está saindo de cena. É torcer para inventarem um bom substituto que não agrida a saúde das pessoas. E as montadoras são especialistas em criar sensações, ainda que artificiais, para atrair os compradores.

Publicada originalmente em

- PUBLICIDADE -

destaques

comentários

Subscribe
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários