terça-feira, 28 de maio de 2024

Troller foi fabricante nacional promissora, mas não resistiu à Ford

Sucesso da empresa estava em vender um produto de nicho que agradava e tinha o respeito do seu público. Ford encerrou a marca em 2021.

*atualizada em 23/01 para corrigir a data da reestilização do jipe T4.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Década de 90, o tempo ainda era muito incerto para os fabricantes nacionais porque o mercado estava aberto há pouco tempo para os importados. Surgia em 1995, com alguma descrença, um novo fabricante 100% nacional chamado “Troller”.

Leia também: a história da Ford no Brasil

Segundo relatado pela própria empresa, os primeiros produtos foram feitos de forma artesanal em 1994 para a disputa de rallys. A fábrica foi erguida na cidade de Horizonte, no Ceará, e construiu inicialmente o RF Sport, com motor 1.8 a gasolina. Em 1998 trocou o motor pelo 2.0. Os motores eram adquiridos da Volkswagen.



O Jipe T4 é o produto que acompanhou a Troller até seus dias finais e foi apresentado com esse nome em 1999. Na apresentação do produto o gerente de desenvolvimento da marca admitiu que o carro era inspirado no antigo jipe Willys.

“Fizemos uma correlação do jipe dos anos 50 com um veículo do século 21, aproveitando o desenho clássico, mas introduzindo conforto, tecnologia e robustez”, comentou Fernando Delgado à época. A Willys foi adquirida pela Ford em 1968, mesmo caminho que a Troller tomaria anos depois.

Os motores Volkswagen persistiram até 2001, quando a Troller adotou o 2.8 turbodiesel fornecido pela MWM. Esse motor acompanhou a linha até 2005, quando a empresa optou pelo motor 3.0 da mesma MWM.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Durante sua existência a Troller participou ativamente de rallys e outros eventos off-road nacionais e internacionais.

Troller T4
Primeira geração do Troller T4 (foto: divulgação)

Em 2006 a Troller deu um passo em falso. Resolveu diversificar a linha produzindo uma picape, a Pantanal. Era o projeto do jipe com chassi alongado em uma picape “raiz”, praticamente um sucessor da versão picape da Toyota Bandeirante.

O passo errado foi que a empresa detectou que os chassis de alguns destes carros apresentaram trincas e isso era um fato muito grave. O pepino ficou para a Ford, que comprou a empresa em 2007.

A Ford então contactou os proprietários das 77 picapes em circulação e ofereceu a recompra pela tabela do veículo na época. Quem não aceitou vender teve que assinar um termo afirmando estar ciente dos problemas que acompanhavam o carro.

Era Ford

Em 2007 a Troller foi adquirida pelo grupo Ford. Era o começo do fim da empresa, que foi encerrada em 2021 após a norte-americana deixar o país e se recusar a negociar a marca com outros grupos empresariais.

Nas mãos da Troller o jipe T4 passou por ajustes em 2009 e em 2012 a Ford iniciou um novo projeto que resultou na reestilização em 2014, que foi a versão que acompanhou o veículo até o fim da vida. Nesse período passou a utilizar a mecânica da Ford Ranger.

O motivo da compra da Troller pela gigante não foi nobre. Os carros da Troller sempre foram produtos de nicho, o que significa que eram voltados para um público específico e não tinham grande volume de vendas.

A Ford nunca admitiu, mas a compra da Troller envolveu o interesse em incentivos fiscais que a fabricante nacional possuía por ter se instalado no nordeste e esses créditos poderiam ser utilizados pelo mesmo grupo desde que este estivesse também no nordeste. A Ford estava instalada em Camaçari, na Bahia.

TX4, o Troller automático (foto: divulgação)

Antes da aposentadoria o carro ganhou uma atualização na mecânica, recebendo opção de câmbio automático. Esse Troller foi vendido com o nome de TX4 e caminha para o roll de carros raros fabricados no Brasil por ter poucas unidades em circulação (existem pouco mais de mil em circulação).

Fim da Troller

Quando a Ford anunciou que fecharia suas operações no Brasil também divulgou que estava disposta a vender seus ativos por aqui, isso incluía a Troller. E deu até prazo para isso: dezembro de 2021.

Ocorre que, segundo o Governo do Ceará, pelo menos dois grupos entraram em negociação para adquirir a Troller. Houve proposta, mas quando a Ford Brasil encaminhou as propostas para a diretoria nos Estados Unidos veio a frustração: a empresa não estava disposta a negociar a transferência dos produtos nem a marca Troller.

Trocando em miúdos: quem quisesse levar teria que se contentar com os galpões e tentar desenvolver um produto do zero. Era o fim da Troller que fabricou seu último T4 em setembro e ainda embalou peças para reposição até dezembro.

Ex-funcionários postaram em rede social o que seria o último Troller da história produzido (foto: reprodução)

Os últimos Trollers foram vendidos por preços acima de R$ 200 mil. O último carro produzido, segundo fotos postadas por funcionários em redes sociais, é um Troller automático azul e branco. Porque creditamos essas imagens à redes sociais? Diferente de outras fabricantes que anunciam com fotos o último veículo produzido de uma série, a Troller não teve essa sorte. Melancólico.

Fim da história da mais promissora montadora criada no Brasil. Segundo o Denatran, em janeiro de 2022 o Brasil tinha 26.084 veículos da Troller rodando. Foram 26 anos de produção e ao final, 470 demissões e galpões vazios em Horizonte, no Ceará.

Publicada originalmente em

- PUBLICIDADE -

destaques

comentários

Subscribe
Notificação de
guest
3 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários