domingo, 21 de abril de 2024

Jeep suspende vendas do Renegade PCD

Um dos motivos é o decreto do governo de SP, que endurece as vendas para o público PCD.

A Jeep não vai mais vender o Renegade PCD a partir de 1º de novembro. A decisão, segundo a empresa, levou três fatores em consideração: falta de revisão do teto de R$ 70 mil, aumento de custos atrelados ao dólar e o decreto 65.259 do estado de São Paulo, que endureceu algumas regras nas vendas deste segmento.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

A Jeep é a primeira montadora a anunciar a suspensão de uma comercialização PCD depois da decisão de São Paulo, publicada no Diário Oficial de 20 de outubro de 2020.

O decreto aumenta de dois para quatro anos o tempo de permanência do cliente PCD com o veículo, até que ele possa fazer uma nova compra. A exceção é apenas para casos de destruição total ou desaparecimento do carro.

São Paulo decidiu mexer nas regras do jogo alegando possíveis fraudes. Há suspeita no governo que exista um mercado artificial de vendas que, para as montadoras não muda em nada, mas para os governos resulta em perda de arrecadação, já que a versão PCD é vendida com isenção de ICMS.

Teto e dólar

Desde 2009 o teto para vendas de veículos PCD com isenção total de impostos (ICMS, IPVA e IPI) está fixado em R$ 70 mil. Com custos sempre crescentes, as empresas se viram obrigadas a ir retirando equipamentos para não estourar o teto ao longo da última década. Aparentemente, a Jeep chegou ao limite com o Renegade.

Pesa ainda a alta do dólar, que nesta quarta-feira (28/10) chegou a bater em R$ 5,79, antes de uma intervenção do governo. Como parte dos custos com fornecedores é atrelada à moeda americana, ficou ainda mais difícil ficar abaixo do teto. Neste caso é possível fazer outra leitura. Como os custos em dólar valem para toda a linha, não é de se surpreender que a Jeep aumente preços de todas as versões à venda no Brasil. Vamos ficar de olho.

Prêmio de consolação

A Jeep anunciou que irá compensar o público PCD dando desconto de 12% na versão STD 1.8 AT. O preço cheio cairá de R$ 81.590 para R$ 73.505, portanto ainda acima do teto para isenção total. Mas como não há limite para a isenção de IPI, o preço final, já com o desconto federal, ficará em R$ 64.684. A versão tem rodas de liga leve aro 16″, racks de teto, controle eletrônico de tração e estabilidade, piloto automático, entre outros itens.

- PUBLICIDADE -spot_img

Comentários

Subscribe
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
- PUBLICIDADE -

NOSSOS DESTAQUES