sábado, 20 de julho de 2024

Por que o Japão está investigando suas fabricantes de veículos?

Escândalo de adulteração de testes da Toyota está causando um efeito cascata na indústria automotiva japonesa

O Ministério do Transporte do Japão está conduzindo uma série de investigações contra montadoras do país sobre o emprego de fraudes em testes de segurança e homologação de veículos novos. A investigação foi iniciada após o escândalo da descoberta de que a Toyota estava fraudando estes testes há mais de 30 anos. Você lê sobre isso aqui.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

As fraudes na Toyota acenderam um alerta nas autoridades do país. Segundo o Ministério, produtos japoneses das marcas Toyota, Mazda, Honda, Suzuki e Yamaha estão sob investigação. Tanto a Toyota quanto a Mazda suspenderam as vendas de alguns modelos no mercado japonês após essa decisão. As informações são da agência Automotive News.

Segundo a publicação, algumas irregularidades da Toyota dizem respeito a provas de segurança em relação a pedestres. Foram descobertos sete modelos que foram feitas de forma fraudulenta, desconsiderando o que diz a lei japonesa. Por exemplo, em um caso específico a montadora realizou teste de colisão apenas de um determinado lado, mas constou que teria feito de todos os outros. A situação foi admitida pelo presidente da Toyota, Akio Toyoda. Não há informações se a montadora reproduziu este mesmo tipo de fraude em outras partes do planeta, como o Brasil. A legislação brasileira para segurança de veículos é mais branda que a japonesa.

Apesar de admitir a fraude, a Toyota japonesa afirma que os veículos produzidos atualmente cumprem as normas mínimas exigidas e não chamou proprietários para qualquer recall neste momento.

Já a Mazda revelou que adulterou o software dos motores de modelos que seriam destinados a provas de colisão e também fez adaptações nos modelos MX-5 RF e do Mazda 2. Ambos não são vendidos no Brasil. A marca também apontou que foram adulterados os veículos que fizeram prova dos modelos Atenza, Mazda6 e Axela.

Já a Honda revelou que teve resultados alterados em 22 veículos que já não são mais produzidos. No caso, as alterações foram sobre a emissão de ruídos e não de segurança.

A investigação na Suzuki apontou que os dados do modelo Suzuki Alto – vendido na América Latina, mas não no Brasil – foram alterados na relação de frenagem. O veículo que foi testado em laboratório pela Suzuki não teve resultados iguais aos que foram testados recentemente.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Após a conclusão das investigações o Governo do Japão deve anunciar que tipo de punições as marcas vão enfrentar.

- PUBLICIDADE -spot_img

Comentários

Subscribe
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
- PUBLICIDADE -

NOSSOS DESTAQUES