terça-feira, 28 de maio de 2024

Fim de versões, novos itens e até motor banido: montadoras se adequam às leis de emissões

Veja modelos que sofreram alterações na virada do ano, quando o implacável Proconve L7 entrou em vigor.

A limitação de poluentes por parte das montadoras, imposta por lei, vem transformando o mercado de carros 0km desde o primeiro dia de 2022.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Praticamente todas as montadoras tiveram que mexer em algo na linha, seja em calibração de motor, adição de equipamentos ou até mesmo a retirada de versões mais poluentes. Tudo para ficar dentro da lei.

Em resumo, o Proconve – Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos – chegou em 1º de janeiro em sua sétima fase, ainda mais restritiva. Desde 1986, as fabricantes têm que se adaptar às limitações da lei. A anterior, a L6, entrou em vigor em 2014 e a próxima, a L8, em 2025.

Nenhuma montadora foi pega de surpresa pela medida, mas o mesmo não pode ser dito dos clientes.

Mas quais carros foram afetados pelo Proconve L7?

Em um dos casos mais radicais, a Hyundai retirou de linha o HB20X, aventureiro que era equipado com motor 1.6 aspirado, um dos maiores vilões do momento. Por uma questão estratégica, a coreana preferiu não trocá-lo por um motor turbo, mas não é o caso de outras montadoras.

A Jeep tirou de linha o 2.0 turbodiesel que equipava o Jeep Renegade. Toda a linha 2022 agora é equipada com o 1.3 turboflex, moderno e muito menos poluente. O cliente perdeu em variedade.

Mas nem toda montadora precisou trocar de motor. A Fiat manteve o longevo Fiorino em linha e com o mesmo 1.4 aspirado de 2021. A diferença foi uma recalibragem, que o deixou dentro das especificações do Proconve L7 – mas retirando um pouco de potência.

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Já a Renault foi muito mais eficiente. Conseguiu diminuir a emissão de poluentes da Duster e deixá-la 3,9% mais econômica, sem precisar mexer na potência.

Por fim, a Volkswagen foi ainda menos radical em alguns casos. Com quase toda sua linha lançada recentemente, portanto já prevendo a mudança de lei, bastou ela adicionar equipamentos de série para ficar dentro das especificações.

Polo, Virtus, Nivus e T-Cross agora contam com start-stop, que garante maior economia de combustível e consequentemente menor emissão de poluentes.

Mas a Volks também teve que ser mais radical em modelos mais antigos. Gol e Voyage, por exemplo, perderam a motorização 1.6 aspirada. Os dois modelos muito provavelmente serão sepultados equipados com o 1.0.

- PUBLICIDADE -spot_img

Comentários

Subscribe
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
- PUBLICIDADE -

NOSSOS DESTAQUES