sexta-feira, 17 de maio de 2024

Mclaren vende sede na Inglaterra por R$ 1,3 bilhão. Conheça o local

Com problemas em equilibrar seu caixa, a fabricante de carros resolveu vender sua sede e permanecer no local como inquilina.

A crise causada pela pandemia do coronavírus causou problemas financeiros para a fabricante de carros esportivos Mclaren. Isso fez com que a empresa colocasse a venda sua sede, na cidade de Woking, Inglaterra. A compradora vai pagar R$ 1,3 bilhão pelo local e a Mclaren ainda ficará por 20 anos no local, mas agora como inquilina.

escritórios da Mclaren
Centro de desenho da Mclaren, na Inglaterra (Foto: Mclaren/ Divulgação)

É uma área de 500 mil metros quadrados que foi inaugurado em 2004. No local estão os escritórios da empresa, o centro de desenvolvimento, o centro de produção e a administração da equipe de Fórmula 1.

Os prédios do complexo foram projetados pelo arquiteto Norman Foster e já venceram vários prêmios de design. Em 2010 o complexo recebeu certificação ambiental por neutralizar a emissão de carbono. O local tem ampla área envidraçada para maior aproveitamento da luz solar, telhados autolimpantes e os lagos artificiais a seu redor foram projetados para garantir uma condição climática agradável para quem trabalha no local.

- Publicidade -

A cidade de Woking fica a 50 minutos do centro de Londres e tem 62 mil habitantes. O centro da Mclaren fica a oito minutos da cidade, em uma área rural. Lá estão expostos os carros históricos da Mclaren na F1 e os troféus dos títulos, como os de Ayrton Senna.

A entrada no local é só para funcionários e convidados, mas abaixo o leitor de Turboway pode fazer um tour virtual pelas instalações:

A sede estava a venda desde o fim do ano passado por R$ 1,5 bilhões. O comprador é um fundo de investimentos chamado Global Net Lease (GNL), que é negociado na Bolsa de Nova York, revelou o site Auto Car. A negociação deve ser concluída até junho.

Em maio do ano passado a Mclaren já havia feito cortes de pessoal para compensar as perdas financeiras. Foram demitidos 1200 funcionários, o que representava na época a 25% de sua força de trabalho. Na época a empresa também fez um empréstimo de cerca de R$ 1 bilhão com o Banco Nacional do Bahrein. Como garantia do empréstimo, a Mclaren relacionou os carros históricos e os prêmios que estão na sede.

- Publlcidade -spot_img

Comentários

- PUBLICIDADE -

últimas da f1